sábado, outubro 16, 2010

Chuva!


Quem não tem um dia daqueles em que parece que por mais o sol brilhe não se consegue sair debaixo da chuva? Sozinho ou maior parte das vezes acompanhado, aquela água é nossa e por mais mãos que nos puxem para um sitio melhor, a falta de algo, alguém, faz-nos duvidar das estradas escolhidas... Caminhos onde procuramos... Trilhos por onde nos perdemos... À tua procura.

Eu não sei o que quero, mas sei o que não quero... Perder-me na confusão do que és!

quinta-feira, outubro 07, 2010

As super meninas

Se muitas vezes voamos alto, elas são as nossas asas, a estrutura para que no final do dia aqueles corpos acinzentados e abacalhoados sintam segurança e gritem vitória. É verdade que às vezes parecem esquecidas, mas como algo que transportamos às costas e não vemos, também elas se fazem sentir como que um peso se não funcionarem bem. Na rádio alcatifa fala-se de zunzuns, de ruídos, mas o que me chega no meio deste quebra cabeças de monta ficheiro, desmonta ideia, apresenta solução, reformula apresentação, são saraivadas de risos ou sorrisos que animam o ar, às vezes tristemente de entrada forçada, cimentados em olhares simpáticos. É um privilégio e alegria sentir esta companhia feminina como as sombras do dia a dia.

 A mulher dragão, a analista de métodos vermelhos, a sisuda simpática, a incansável bibliotecária, a calada curiosa, a guardiã da chave falsificada e a inflexivel mulher de borracha, fazem delas uma equipa de super heroinas invenciveis por entre a escuridão dos processos, procedimentos, análises, mails e outros que tais Kryptonites.

Sei que não ofereço bolas de berlim ou que nem distribuo chocolates e que já devo almoços nos Açores e na Madeira, para além de desgastar as colegas de carteira que indirectamente se sentem afectadas psicologicamente com toda a papelada, trabalho e visitas frequentes que faço ou arrasto. Mas, se às vezes certas linguas são lâminas por oferendas de sorrisos como meio de pagar a minha divida de dedicação, com doces estaria a amargar a boca de quem tem os cotovelos dilacerados de preconceito e a procurar motivos para quem possa ter no sangue o gene da coscuvilhice novas maneiras de alimentar a sabedoria dos ignorantes.

A minha sentida e sincera vénia às super meninas.

Brincalhões...

Um grupo de cientistas alemães acredita ter encontrado o brinquedo sexual mais antigo do mundo. Os investigadores descobriram um pénis de pedra com cerca de 20 centímetros.

O objecto sexual foi descoberto num complexo de cavernas perto de Ulm, na Alemanha, revela o jornal «Austrian Times».

O brinquedo sexual tem pelo menos 28 mil anos, dizem os investigadores da Universidade de Tubingen, onde o objecto está a ser estudado.

Para além de dar prazer, o brinquedo também era útil para noutras actividades. Quando o objecto não estava a ser usado em actividades sexuais, era utilizado para acender o fogo.

quarta-feira, março 31, 2010

Livin' la vida rota...

Imaginemos...

Gajas, resmas de gajas a babarem-se aos seus pés e o que é que ele escolhe... Ah e tal prefiro coisas mais peludas, sem aquelas coisas lindas chamadas seios e que me sodomizem! :|

Sim, estou extremamente chocado... Supostamente o Ricky quando falava de lábios e sensualidade era para ser de "gaijas" e não de um gajo qualquer de bigode... Blharrrc.... Imaginava eu que sim mas pelos vistos não.

Porra eu também andei a dançar ao som de "Livin' la vida loca" e vibrei com "She's all i've ever had"... E agora, a ideia com que fico é que provavelmente viver a vida de uma forma louca é abafar a palhinha :S Chiça... Já não bastava o George Michael, a seguir deve ser o Enrique Iglesias, "Ai é tão bom sentir um gajo peludo nas costas" FDX.

Tenho de ouvir só os gajos do metal que isso é que é de macho, espero eu!
É não é?

Ah, já agora para quem não sabe ou não percebeu... O Ricky Martin assumiu-se hoje como alguém que gosta de empurrõezinhos por trás, AKA Bicha.

terça-feira, março 30, 2010

ok ok




Ontem na minha hora de almoço decidi ir à Fnac dedilhar uns álbuns na esperança de encontrar qualquer coisa que me animasse, tudo estava tranquilo, como é hábito.

Ao fim de 10 min e algumas dezenas de capas vistas a minha atenção foi desviada por alguém a gritar “METE a 6, METE a 6!!”, do outro lado responderam “aííííííí”

Isto é difícil de descrever mas eu vou tentar, eram dois tipos com um aspecto terrível ( os chamados bollycaos), madeixas, ténis Nike com a calça dentro da peúga, crucifixo à CR, enfim...o lourinho numa das pontas da secção com o volume dos Headphones para lá do máximo, o outro dos ténis na outra ponta, com o volume igualmente alto, trocavam impressões das faixas que estavam a ouvir num tom de voz que parecia que estavam a assaltar alguém, como se isto não bastasse ainda dançavam de uma forma tão estranha que a única coisa que me ocorre para descrever é como se alguém tivesse um caniche cravado ao tornozelo louco por um buraco, e esse alguém, desesperado para que o animal saísse sem querer tocar-lhe com as mãos.

Isto não ficou por aqui, porque cada vez que a música passava por partes mais interessantes um deles “gritava” “AÍÍÍÍÍÍ” e o outro ao mesmo nível, gritava “METE a 8, METE a 8”, e mais “AÍÍÍÍ”

Hilariante....

quinta-feira, março 25, 2010

Como é amigo?

Tenho recebido as melhores das criticas relativamente aos posts que deixei aqui para quem quisesse ler e isto leva-me a uma questão... Que se passa? Andas chateado com a vida na "Internetosféra"? Vamos lá a escrever umas coisas novas "sachavor". O público está ansioso e acima de todos eu! Esta treta é uma parceria, sociedade ou lá o que seja, por isso começa lá a fazer valer a tua quota. :)
Abraço.

quinta-feira, março 18, 2010

Fim

Peço que não personalizem os comentários directamente aos posts introduzidos, pois estes fazem parte de alienações criativas da pessoa que os escreve, tendo ou não como base situações ocorridas na realidade.
Obrigado.




A incompreensão desta merda e os problemas que me traz mais do que os que me resolve, ditaram que não volte a escrever mais.

Uma coisa importante: não quero perguntas. Terminou e obrigado a quem me leu.